Como Declarar Ações no Imposto de Renda e Dúvidas IR 2020

Saber como declarar ações no Imposto de Renda 2020 é importante para todos os investidores que possuem esses ativos na carteira ou que os tiveram durante o ano de referência 2018/2019.

Ou seja, precisa acertar as contas com o Leão todo aquele que negocia ações, ainda que não se enquadre em outra regra que torne a declaração obrigatória.

Esse é um compromisso para não cair na malha fina ou ser multado pelo Fisco.

Hoje, com a informatização de sistemas, a Receita Federal consegue fiscalizar com muita facilidade as suas informações financeiras.

Então, deixar de declarar ações no IR 2020 é um erro que pode trazer problemas no futuro.

É preciso ter responsabilidade neste momento e buscar conhecimento para agir certo e declarar suas negociações de renda variável.

Se esta é a sua primeira vez ou não tem muita prática, é comum ter dúvidas sobre como informar os dados, porque o sistema é bastante detalhado.

Para ajudá-lo, preparamos um guia completo para você entender bem como funciona a declaração de ações no Imposto de Renda 2020 e ficar em dia com o Fisco.

Você vai conferir:

  • Como Declarar Ações no IR 2020 Em 6 Passos
  • Imposto de Renda Sobre Compra e Venda de Ações
  • 5 Dúvidas Sobre Como Declarar Investimentos no Imposto de Renda 2020
  • Como Calcular o Imposto de Renda sobre Ações
  • Como Funciona o Imposto de Renda em 2020 Sobre Day Trade de Ações
  • Como Declarar Prejuízo com Ações no Imposto de Renda 2020.

Chegou a hora de aprender como declarar ações no IR 2020.

Para isso, montamos um passo a passo com todos os detalhes. Assim, você terá mais facilidade e segurança para prestar contas ao Leão.

Acompanhe:

1. Levantamento dos dados e informações

O primeiro passo para declarar ações no IR 2020 é juntar todas as informações pertinentes às movimentações que você fez na bolsa de valores entre 31/12/2018 até 31/12/2019. 

Se você costuma fazer diversas operações em renda variável, o ideal é montar uma planilha. Assim, fica mais fácil fazer a apuração dos lucros.

Isso mesmo: você que deve controlar suas compras, vendas, lucros e prejuízos, além de entradas de dividendos e outros proventos.

Para isso, separe por ação e o tipo de venda (comum ou Day Trade).

Tenha em mãos as notas de corretagem e as DARFs. Caso não as possua, peça à sua corretora.

Se você é cliente Rico, basta clicar nesta seção do menu lateral para acessar as suas notas.

Para a DARF, é só consultar o site da Receita Federal.

Solicite também o seu Informe de Rendimentos à corretora.

Nesse documento, você encontra as informações referentes à sua posição acionária, valores recebidos em proventos e dados sobre outros investimentos.

2. Apuração dos lucros

Depois de levantar todas as informações necessárias, você precisa fazer a apuração dos lucros. A tributação é calculada a partir do preço médio de compra e venda das ações.

Por isso, a importância de fazer a planilha. Esse valor médio é a cotação de compra com o desconto da corretagem e dos emolumentos. O de venda é o mesmo princípio.

Vamos ver um exemplo?

Supondo que você comprou 1.000 ações ABCD4 por R$ 20,00 e os custos com a corretagem mais emolumentos somam R$ 150,00. Então, o valor médio será de R$ 20,15.

Depois, você as vendeu a R$ 25,00, com despesas de R$ 15,00.

Assim, basta multiplicar o total bruto, descontar os R$ 15,00 e dividir pelos 1.000 papéis.

Nesse caso, o preço médio de venda será R$ 24.985,00. 

O lucro da operação será de R$ 4.985,00 e o imposto retido da fonte, para uma venda comum, será de R$ 1,25.

Para verificar, é só multiplicar 25*0,00005*1000 = 1,25. Já o tributo a ser declarado é de R$ 747,75. 

Como você pode ver, esta etapa é bastante detalhada e deve ser feita para cada ação que você operou no ano de referência do IR 2020.

Lembre que qualquer erro de digitação ou falta de informação pode comprometer toda a sua declaração.

3. Baixar o programa do Imposto de Renda 2020

A próxima etapa é a mais simples, que é baixar o software do IR 2020. Quando disponível, você o encontrará neste link para download.

Tenha o cuidado de clicar na opção 2020 e escolher Download do Programa.

Depois de concluído, você está pronto para começar a usar.

4. Preencher os dados das operações isentas

Aberto o programa, vamos dar início ao preenchimento das informações.

Para declarar ações no IR 2020, você pode começar pela parte mais simples, que são as movimentações isentas de Imposto de Renda.

5. Informar as operações sujeitas à tributação

Aqui, entra a maior parte das negociações.

Vamos começar pela mais simples, que é a declaração dos Juros sobre Capital Próprio (JCP).

Siga estes passos:

  1. Entre no campo “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”
  2. Escolha a opção “10. Juros sobre capital próprio”
  3. Informe o titular, o CNPJ da fonte pagadora e o valor recebido
  4. Faça isso para todas as ações, das quais, você recebeu JCP
  5. Por fim, clique em OK.

Agora, vamos declarar as vendas que superaram R$ 20 mil e as operações de Day Trade.

Vale saber que esta última está sujeita à alíquota de 20%, independente do valor movimentado.

Além disso, você deve calcular o valor do Imposto de Renda e fazer o pagamento através de uma DARF até o último dia útil do mês.

Com esses comprovantes em mãos, basta preencher a sua declaração.

Confira o passo a passo:

  1. Escolha a opção “Operações Comuns/Day Trade”
  2. Informe o valor do lucro ou prejuízo obtido em cada mês, conforme a sua planilha. Separe-os em operações comuns e Day Trade
  3. No campo referente à janeiro, verifique se há prejuízos para compensar de dezembro de 2018. Se houver, preencha o valor deles em “Prejuízos a compensar”. Esses prejuízos são informados com o sinal negativo – por exemplo, -300,50
  4. Ao finalizar cada mês, vá até “Consolidação do Mês” e verifique se a alíquota foi calculada corretamente no campo “Imposto a pagar” e informe o valor pago na DARF em “Imposto pago”
  5. Para compensar o IR retido na fonte, você deve colocá-lo em “IR fonte (Lei nº 11.033/2004) no mês”. Para o Day Trade, ele é lançado em “IR fonte Day-Trade no mês”
  6. Ao finalizar todo o preenchimento, vá até o mês de dezembro e verifique o total de IR retido na fonte. Aqui, constará todo o retido do ano. Assim, faça a soma dos recolhidos nas vendas acima de R$ 20 mil e dos Day Trades e informe em “Imposto Pago/Retido” no campo “3. Imposto sobre a renda na fonte (Lei nº 11.033/2004)”
  7. Repita o processo para todas as operações que entram nesta classe.

Se, em algum dos meses, você não realizou Day Trade ou vendeu abaixo de R$ 20 mil, informe 0,00 nos campos.

Para a venda abaixo de R$ 20 mil, siga o procedimento anterior, descrito na etapa 4.

6. Informar à Receita sobre as suas ações

Chegamos à ultima etapa sobre como declarar ações no IR 2020.

Utilize o Informe de Rendimentos fornecido pela sua corretora para verificar a sua posição em 31/12/2018 até 31/12/2019.

Depois, é só seguir estas etapas:

  1. Escolha a opção “Bens e Direitos”
  2. Adicione a sua ação com o código “31 – Ações”
  3. Informe discriminação – por exemplo, 800 ações PN de Petrobras (PTR4 ) adquiridas em 10/10/2018
  4. Preencha a sua posição em 31/12/2018 e em 31/12/2019
  5. Faça o mesmo procedimentos com cada uma das suas ações.

Na especificação, você deve informar, quando houver, vendas parciais e compras de mais ações. Não se esqueça de colocar a data de cada operação.

Antes de enviar a sua declaração do IR 2020, revise se todos os dados estão corretamente digitados e se os impostos foram calculados corretamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *